Arquivo para ‘Educação’ Categoria

Tragédias nas escolas

Em pauta: bullying, segurança escolar e os desafios a superar

Tristeza no Colégio Goyases, em Goiânia, onde um estudante atirou contra colegas da turma – Divulgação (Reprodução)



Caminhos da Reportagem

No AR em 14/12/2017 – 22:00

Rio de Janeiro, 7 de abril de 2011: um ex-aluno da escola municipal Tasso da Silveira invade a sala do oitavo ano e atira contra os estudantes – dez meninas e dois meninos morrem. Goiânia, 20 de outubro de 2017: um adolescente de 14 anos atira contra os colegas de classe, mata dois e fere quatro, no colégio particular Goyases. Alexânia, 6 de novembro de 2017: um jovem de 19 anos entra em uma escola e atira contra uma ex-colega de classe, de 16 anos. Esta edição do Caminhos da Reportagem relembra essas três tragédias que aconteceram em escolas para discutir as possíveis causas e soluções para esse tipo de violência.

Carreira de professor desperta cada vez menos o interesse de jovens

 

Reprodução: Valorização do professor deve começar na educação básica, diz o MEC
Elza Fiuza/Arquivo/Agência Brasi



  • 5/10/2017 08h11 – Brasília

Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil


A falta de reconhecimento e de condições de trabalho tem atraído cada vez menos alunos para uma profissão que já esteve entre as mais valorizadas no país: a de professor. O Dia do Professor é hoje, mas há motivo para comemorar?

A cada 100 jovens que ingressam nos cursos de pedagogia e licenciatura no país, apenas 51 concluem o curso. Entre os que chegam ao final do curso, só 27 manifestam interesse em seguir carreira no magistério. As informações foram levantadas pelo movimento Todos Pela Educação, com base em dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Com 150 reais por semana ex-batedor de açaí vira professor referência

Eder Nascimento enfrentou um assalto e trocou as mãos calejadas pelo giz

Reprodução: Hoje, com 24 anos, Eder já formou mais de 500 alunos e explica o que é ser professor: “Sempre fiz questão de chegar uma hora antes das aulas para conversar com algum estudante que tivesse com dúvidas / Divulgação




POR: DA REDAÇÃO


Da pequena cidade de Capanema, 500 km distante de Belém do Pará, Eder Nascimento atravessava dificuldades como muitos moradores. No estado é comum as pessoas venderem os seus quitutes nas portas das suas casas e é exatamente dessa forma que dona Etiene, mãe de Eder, sustentava a família. Com 13 anos, após a separação dos pais, foi morar com a matriarca no munícipio de Barcarena. E era nessa cidade que a sorte dele iria mudar.

MEC dará prazo de 2 anos a estados e municípios para adequação de currículos


Reprodução


  • 06/04/2017 14h49 – Brasília

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência BrasilO Ministério da Educação (MEC) vai fixar um prazo de até dois anos após a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para que estados e municípios elaborem os próprios currículos. São os currículos que vão definir como os objetivos de aprendizagem estabelecidos devem chegar aos estudantes nas salas de aula.

“O MEC assegurará todo o apoio técnico do ponto de vista do suporte para que estados e municípios possam avançar na definição dos currículos que obedecerão as normas gerais e as diretrizes gerais consagradas na BNCC”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho. “Tanto o suporte téncico, como a formação de professores e currículos devem estar absolutamente sintonizados com a nova base que será homologada”, acrescenta.

Programa de avaliação mostra baixo desempenho dos estudantes brasileiros


Marcia Wonghon


Rio de Janeiro - Escola municipal Levy Miranda na ilha de Marambaia, baia de Sepetiba, sul do estado (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Reprodução: Rio de Janeiro – Escola municipal Levy Miranda na ilha de Marambaia, baia de Sepetiba, sul do estado (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O governo brasileiro tem como uns dos desafios para o próximo ano, implementar a reforma do ensino médio, com a intenção de recuperar o nível de aprendizagem dos estudantes.
Isso porque 44,1% dos alunos de 15 anos, das escolas públicas do país estão abaixo do nível de aprendizagem considerado adequado em leitura, matemática e ciências .

 

A constatação é do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, Pisa. Os indicadores foram divulgados nesta terça- feira, pela OCDE,Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico ,na sede do Inep, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

 

MEC vai lançar curso de formação em direitos humanos para professores


Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil


educacao_escola

Reprodução

O Ministério da Educação (MEC) pretende lançar um curso de direitos humanos para professores da educação básica. A informação é do diretor de Políticas de Educação em Direitos Humanos e Cidadania, da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do MEC, Daniel de Aquino Ximenes.

Segundo Ximenes, o treinamento terá módulos de estudo online nos quais os professores terão acesso a temas como racismo, homofobia e bullying. A intenção é que eles tenham subsídio tanto para lidar com essas questões na escola quanto para levar os temas para a sala de aula.

“Educação em direitos humanos é um guarda-chuva amplo que trata de bullying e violências, de ética e cidadania, de garantias de direitos, racismo, violência contra a mulher e temas afins”, disse Ximenes à Agência Brasil.

Dia Nacional da Consciência Negra


dia-da-consciencia-negra

Reprodução Web


Publicado por: Jussara Barros em Novembro


O dia 20 de novembro faz menção à consciência negra, a fim de ressaltar as dificuldades que os negros passam há séculos.

A escolha da data foi em homenagem a Zumbi, o último líder do Quilombo dos Palmares, em consequência de sua morte. Zumbi foi morto por ser traído por Antônio Soares, um de seus capitães.

A localização do quilombo ficava onde é hoje o estado de Alagoas, na Serra da Barriga.

O Quilombo dos Palmares foi levantado para abrigar escravos fugitivos, pois muitos não suportavam viver tendo que aguentar maus tratos e castigos de seus feitores, como permanecerem amarrados aos troncos, sob sol ou chuva, sem água e sofrendo com açoites e chicotadas. O local abrigou uma população de mais de vinte mil habitantes.

Powered by WordPress | Download Free WordPress Themes | Thanks to Themes Gallery, Premium Free WordPress Themes and Free Premium WordPress Themes
WP-Backgrounds by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann