Cometa C/2013 A1 pode colidir em Marte em outubro de 2014

Segundo dados do Observatório ISON-NM Novo México baseado, no Novo México, a distância de passagem

Por William Camargo/Folha Paulistana – Segundo site Universe Today, cientistas e astrônomos acreditam na possibilidade de umacolisão apocalíptica do cometa C/2013 A1(Siding Spring), com Marte em Outubro de 2014, algo que causaria uma mudança ambiental radical ao planeta vermelho. Porém mesmo que não aconteça tal colisão, um grande espetáculo, sem precedentes no céu de Marte deverá ocorrer pela proximidade que o corpo celeste passará.

Segundo dados do Observatório ISON-NM Novo México baseado, no Novo México, a distância de passagem do cometa C/2013 A1 deve ser de apenas 37.000 km ou 23.000 milhas, que falando-se em linguagem astronômica, passará literalmente de raspão, voltando a ressaltar, “caso não haja a colisão”.

Para o astrônomo Leonid Elenin, o cenário é mais propício para uma colisão, embora o estudioso admita que a possibilidade de isso ocorrer deve ser bastante pequena. Leonid Elenin é um astrônomo amador e baseia sua teoria no gerenciamento remoto do ISON-NM, segundo a agência RIA Novosti.

Dados mais precisos só poderão ser coletados quando o cometa C/2013 A1 estiver mais próximo, quando os calcúlos matemáticos deverão ser refeitos. O astrônomo amador Leonid Elenin trabalha no Instituto Keldysh de Matemática Aplicada da Academia de Ciências da Rússia, e já descobriu dois cometas, sendo que o C/2013 A1 tenha sido identificado pela primeira vez como sendo um cometa, em Janeiro, baseado nos estudos e observações do Siding Spring Observatory, na Austrália. O observatório admitiu também a possibilidade de uma colisão do cometa com Marte em seu site.

O que aconteceria se o cometa colidisse com Marte?

Uma grande quantidade de energia seria liberada, sendo que a potência do impacto com a explosão chegaria a pelo menos 20 bilhões de megatons, deixando assim uma cratera de 500 quilometros (310 milhas) de largura e dois quilometros (1,2 milhas) de profundidade. Tal impacto e tamanho da cratera é calculado pelas dimensões aproximadas do cometa, que neste caso, pela distância que ainda se encontra, estima-se que ele tenha de 10 a 50 km de largura e se move a uma velocidade de 56 km (35 milhas) por segundo, segundo os dados fornecidos do ISON-NM.

Como ficaria Marte após a colisão?

Com certeza a transformação no planeta seria radical, segundo o especialista Robert Matson, engenheiro. O C/2013 A1 transformaria a paisagem marciana. O impacto, caso ocorra, pode levantar uma imensa nuvem de poeira e liberar dióxido de carbono congelado, algo que seria suficiente para mudar radicalmente a atmosfera de Marte, segundo Matson.

Duas possibilidades após a possível colisão: Aumentar o efeito estufa, resultando em uma espessa atmosfera, ou derrubar a temperatura da superfície de Marte, com o obscurecimento do Sol, informou Matson. Além disso o impacto poderia causar grande atividade vulcânica.

A NASA deve colocar a Maven sonda na órbita de Marte, e deverá estar aos arredores do planeta vermelho em Setembro de 2014. O objetivo é acompanhar de perto a trajetória do cometa, estudá-lo e caso haja o impacto, fazer o registro de tal evento.

Fonte: http://www.paginadanoticia.com

 

 
Simulação sem compromisso

primark

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Powered by WordPress | Download Free WordPress Themes | Thanks to Themes Gallery, Premium Free WordPress Themes and Free Premium WordPress Themes
WP-Backgrounds by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann