Governo do Estado firma parceria para redução da mortalidade materna e infantil em Minas

A partir de agora, cada óbito de mãe ou bebê será interpretado como óbito catastrófico. Secretaria de Saúde vai investir R$ 20 milhões em capacitação de profissionais

Antônio Jorge durante assinatura do termo de adesão e validação da Nova Estratificação de Risco da Gestante

Reprodução
Antônio Jorge durante assinatura do termo de adesão e validação da Nova Estratificação de Risco da Gestante

secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, e a presidente da Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (Sogimig), Maria Inês de Miranda Lima, assinaram, nesta quarta-feira (8), termo de adesão e validação da Nova Estratificação de Risco da Gestante, que integra o Projeto Mães de Minas / Rede Viva Vida e atualização do protocolo pré-natal e neonatal.

Para o secretário Antônio Jorge, a medida é de extrema relevância, uma vez que o cuidado com a gestante e o bebê é uma das prioridades do Governo de Minas. “Nosso desafio é aumentar a qualidade no pré-natal e assistência ao parto, e trabalhamos hoje com uma vigilância firme sobre os serviços prestados às gestantes do Estado. Com a evolução desse cuidado e a revisão das diretrizes, cada óbito precisa e será visto em Minas como um evento catastrófico. O que estamos fazendo aqui será modelo para o país”, disse, ressaltando as mudanças nas regras relativas ao prestador de serviço, que só irá receber pelo parto que culminou em óbito depois da investigação das reais causas do fato.

Com a parceria, a SES vai apoiar e investir na mudança da atual classificação de risco das gestantes mineiras, que passará de duas classificações (Risco Habitual e Alto Risco) para quatro classificações (Risco Habitual, Médio Risco, Alto Risco e Muito Alto Risco), garantindo assim maior segurança para a gestante e bebê. Além disso, haverá revisão de diretrizes clínicas para o pré-natal, parto e nascimento,mapeamento das ações do pré-natal por estrato de risco, definição da carteira de exames por estrato de risco, definição dos fluxos assistenciais por estrato de risco e seleção das maternidades para vinculação das gestantes e seus recém-nascidos às unidades perinatais, de acordo com o risco clínico.

A ação vai fortalecer também a contínua queda na taxa de mortalidade materna-infantil em Minas, que de hoje é de 12,68 para cada 100 mil nascidos no Estado e de 13,15 na média nacional. No Estado, as regiões de maior incidência de óbitos materno-infantil são a Nordeste e Jequitinhonha; as menores estão no Centro e Triângulo.

Apresidente da associação, Maria Inês de Miranda, ressaltou que estratificação de risco e o atendimento da gestante em local e por profissionais adequados é fundamental para a segurança da mãe e do bebê. “Na parceria, a Sogimig vai se dispor a capacitar o profissional de saúde, do atendimento primário, visando à correta estratificação, evitando muitas falhas, até o profissional da urgência e emergência, com foco nas complicações  clínicas das gestantes. Acredito que isso vá impactar na redução da mortalidade materna em Minas”, afirmou.

As melhorias assistenciais terão investimentos da SES/MG de cerca de R$ 20 milhões em treinamento, cursos e operacionalização nos próximos dois anos.Os recursos também aprimorarão o trabalho nos três níveis de cuidado da saúde da gestante e do bebê: Unidade Básica de Saúde, Centro Viva Vida, Casa de Apoio à Gestante, Maternidade Risco Habitual, Hospital Pediátrico Microrregional, Unidade Neonatal de Cuidados Progressivos e Maternidade de Alto Risco Secundário e Terciário, Cacon/Unacon.

Rede Viva Vida

Criado em 2003, a Rede Vida vem ampliando sua atuação. Recentemente, foi investido R$ 35.498.713,52 do Tesouro Estadual para a criação de 155 novos leitos de UTI neonatal e pediátrico, em 20 hospitais, incluindo a construção e estruturação. Há também expansão da Rede de Maternidades Credenciadas para assistência à gestante de Alto Risco, com previsão de mais dez maternidades e implantação de dez novas Casas de Apoio à Gestante, vinculadas às maternidades credenciadas em Alto Risco em todo o Estado.

Mães de Minas

O Projeto Mães de Minas é um conjunto de ações de saúde voltadas para a proteção e o cuidado da gestante e da criança no primeiro ano de vida, alicerçada na Rede Viva Vida de atenção à mulher e à criança existente desde 2003 no Estado de Minas Gerais.

 

Fonte:  Agência Minas

» Esta é uma notícia    Compartilhe por aí, vale a pena … 

Simulação sem compromisso

primark

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Powered by WordPress | Download Free WordPress Themes | Thanks to Themes Gallery, Premium Free WordPress Themes and Free Premium WordPress Themes
WP-Backgrounds by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann