No mês em que é celebrado o Outubro Rosa, SES-MG reforça importância de cuidar da saúde todos os dias


Originário da década de 1990, o Outubro Rosa tem como objetivo a prevenção e enfrentamento ao câncer de mama.

outubro_rosa_saude_da_mulher_2016

Reprodução


Por Ana Paula Brum e Fernanda Rosa


A campanha deste ano vai focar bastante nas redes sociais e terá como intenção reforçar a importância da mulher conhecer seu corpo e cuidar bem dele todos os dias. O conceito que permeia as peças é de que toda cidadã tem direito à saúde integral, humanizada, de qualidade e livre de toda forma de preconceito ou discriminação, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Veja também:
Lançamento do “Espaço Cidade para Todas” marca as ações do Governo de Minas para o Outubro Rosa

O dia 4 de outubro também será marcado, ainda, por diversas atividades voltadas para a saúde da mulher na Cidade Administrativa. Às 10h, acontecerá a inauguração do “Espaço Cidade Para Todas”, localizado no 9º andar do Prédio Gerais. Ao longo do dia acontecerão também palestras, oficinas, intervenções culturais, exposições, corte e doação de cabelo, distribuição de panfletos e de laços da cor rosa. A partir desta mesma data, outros órgãos públicos e privados, provocados pela SES-MG, também irão desenvolver ações relacionadas ao longo do mês de outubro.

Mamografia

O câncer de mama é o tipo que possui a maior incidência e a maior mortalidade na população feminina em todo o mundo e a mamografia é fundamental para diagnosticar a doença em estágios iniciais.

De acordo com o Ministério da Saúde, a mamografia para o rastreamento de câncer de mama é recomendada para mulheres entre 50 e 69 anos e deve ser realizada a cada dois anos.

A coordenadora de Atenção à Saúde da Mulher, da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Ana Paula Mendes Carvalho, destaca que“mulheres que apresentem risco elevado para câncer de mama, com histórico familiar da doença em parentes de primeiro grau, recomenda-se o acompanhamento clínico individualizado”.Minas Gerais possui, atualmente, 584 aparelhos de mamografia e, de janeiro a julho de 2016, foram realizados 279.489 exames. Com o objetivo de aumentar a cobertura mamográfica, bem como garantir o fornecimento regular do exame a todas as mineiras, Minas Gerais utiliza o serviço móvel de mamografia, que conta com oito unidades percorrendo todo o estado para atender as mulheres.

Confira a rota do caminhão mamógrafo em Minas, neste mês de outubro.

Novas Diretrizes

Quando se fala em exame de mamografia, é fundamental garantir a qualidade da imagem para que seja realizado o diagnóstico adequado. Para tanto, é preciso equipamentos devidamente projetados e calibrados para processamento de imagem, bem como de profissionais especializados para a interpretação da imagem.

O Programa Estadual de Controle de Qualidade em Mamografia (PECQMamo) é responsável por instituir o monitoramento da qualidade dos serviços de mamografia por meio da imagem radiográfica de simulador de mama nos serviços públicos e privados de saúde de Minas Gerais.

Com o objetivo de estabelecer diretrizes sobre a realização deste exame no estado e melhorar sua qualidade, foi publicada no dia 15 de setembro, a Lei N° 22.290.  De acordo com a referência técnica do Programa Estadual de Controle de Qualidade em Mamografia, Flávia Adriana dos Reis Silva, “as diretrizes retratam, justamente, a preocupação com a qualidade dos exames mamográficos prestados no estado, tanto por instituições públicas quanto privadas, zelando para que as mulheres tenham acesso a mamografias de qualidade”.

Confira onde estão localizados os mamógrafos em Minas Gerais.

Papanicolau

O câncer de colo do útero é considerado o terceiro mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e colorretal. O principal fator de risco para o desenvolvimento deste tipo de câncer é a infecção pelo papilomavírus humano (HPV).  A vacina contra o HPV é uma das medidas para o enfrentamento ao câncer do colo do útero. No Brasil, o Ministério da Saúde implementou, no calendário vacinal, em 2014, a vacina tetravalente contra o HPV para meninas de 9 a 13 anos.

“A realização periódica do exame Papanicolau é a estratégia mais adota para o rastreamento da doença em mulheres de 25 a 64 anos, que já tiveram algum tipo de atividade sexual. O exame deve seguir até os 64 anos de idade. Mesmo as meninas vacinadas devem realizar o exame quando atingirem a faixa etária adequada e iniciarem a vida sexual”, explica Ana Paula Mendes Carvalho. Com relação à periodicidade de realização do Papanicolau, a rotina é a repetição do exame a cada três anos, após dois exames normais consecutivos realizados com um intervalo de um ano.

Para ter acesso à mamografia e ao Papanicolau, basta procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência, porta de entrada para atendimento no SUS. Acompanhe todas as atividades e notícias produzidas pela SES-MG no mês de outubro, em nossas redes sociais. Outras informações sobre a campanha e dados de ações da SES-MG para controle do câncer de mama e colo do útero estão disponíveis no site: www.saude.mg.gov.br/saudedamulher


Fonte: Saude.mg.gov.br


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.

Powered by WordPress | Download Free WordPress Themes | Thanks to Themes Gallery, Premium Free WordPress Themes and Free Premium WordPress Themes
WP-Backgrounds by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann