PT, PMDB e PSDB têm maior número de nomes na lista de investigados


Reprodução


  • 12/04/2017 19h54 – Brasília

Sabrina Craide e Ivan Richard Esposito – Repórteres da Agência Brasil


A lista de ministros, governadores, senadores e deputados que serão investigados por determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), tem 16 nomes do PT, 14 do PMDB e 11 do PSDB. Todos foram citados nos depoimentos de delação premiada de ex-diretores da empreiteira Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato.

A relação também inclui oito nomes do PP, seis do PSD, quatro do DEM, quatro do PSB, três do PR, três do PRB, dois do PCdoB, além dos partidos PPS, PTC e SD, com um nome cada.

Com a abertura da investigação, os processos devem seguir para a Procuradoria-Geral da República (PGR) e para a Polícia Federal (PF) para que sejam cumpridas as primeiras diligências contra os citados. Ao longo da investigação, podem ser solicitadas quebras de sigilo telefônico e fiscal, além da oitiva dos próprios acusados.

Audiência: Jesus é a semente da nossa esperança


Reprodução


 


Cidade do Vaticano (RV) – Nesta Quarta-feira Santa (12/04), o Papa concedeu audiência geral aos fiéis na Praça São Pedro. Sol e temperatura de primavera aqueceram o encontro e, em sua cateque, Francisco recordou o ingresso de Jesus em Jerusalém, celebrado no Domingo de Ramos.

 

“Quem podia imaginar que aquele que entrou triunfante na cidade teria sido humilhado, condenado e morto na cruz?”, questionou Francisco aos fiéis. “As esperanças daquele povo se desmancharam diante da cruz; mas nós cremos que precisamente Nele, crucificado, a nossa esperança renasceu. Que esperança é essa?”.

A frase que pode nos ajudar a entender esta esperança foi pronunciada justamente por Jesus depois de entrar em Jerusalém: Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto”.

A esperança tem a forma de uma semente

STF vai investigar 8 ministros, 24 senadores e 42 deputados citados em delações


Reprodução


  • 11/04/2017 21h38 – Brasília

André Richter e Felipe Pontes – Repórteres da Agência Brasil


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin autorizou abertura de investigação contra oito ministros do governo federal, três governadores, 24 senadores e 42 deputados federais. Todos foram citados nos depoimentos de delação premiada de ex-diretores da empreiteira Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato. O ministro Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo Filho também será investigado

Com a abertura da investigação, os processos devem seguir para a Procuradoria-Geral da República (PGR) e para a Polícia Federal (PF) para que sejam cumpridas as primeiras diligências contra os citados. Ao longo da investigação, podem ser solicitadas quebras de sigilo telefônico e fiscal, além da oitiva dos próprios acusados.

Veja a lista dos ministros, senadores e deputados que serão investigados.

Domingo de Ramos: Papa, Jesus está presente nos que padecem tribulações como Ele


Cidade do Vaticano (RV) – Inicia-se neste Domingo de Ramos (09/04) a Semana Santa.

Reprodução


 


O Papa Francisco presidiu a missa deste domingo, na Praça São Pedro, que contou com a participação de vários fiéis e peregrinos, cerca de quarenta mil pessoas.

“Esta celebração tem, por assim dizer, duplo sabor: doce e amargo. É jubilosa e dolorosa, pois nela celebramos o Senhor que entra em Jerusalém, aclamado pelos seus discípulos como rei; ao mesmo tempo, porém, proclama-se solenemente a narração evangélica de sua Paixão. Por isso, o nosso coração experimenta o contraste pungente e prova, embora numa medida mínima, aquilo que deve ter sentido Jesus em seu coração naquele dia, quando rejubilou com os seus amigos e chorou sobre Jerusalém”, disse o Pontífice.

Agora você pode usar o Google para verificar se uma notícia é falsa


Reprodução: Fact Check do Google (Foto: Divulgação)


LEONARDO PEREIRA 07/04/2017 06H59


Anunciado no ano passado e lançado no Brasil há cerca de dois meses, o sistema de checagem de notícias do Google passará a funcionar também no buscador da companhia.

Até então, o “Fact Check” operava apenas dentro do Google News e em países selecionados. A partir de hoje, ele passa a funcionar globalmente — em todos os idiomas — e também dentro do buscador.

O sistema aplica uma etiqueta a links de notícias que tenham passado pela verificação de instituições independentes. No Brasil, o trabalho é tocado por Aos Fatos, Agência Lupa e Agência Pública.

Nem todos os links contarão com a informação, e é possível que uma mesma notícia tenha checagens conflitantes por terem passado pelo crivo de mais de uma organização. “Mesmo que conclusões diferentes possam ser apresentadas, acreditamos que ainda é útil para as pessoas entenderem o grau de consenso sobre uma afirmação”, diz a empresa.

MEC dará prazo de 2 anos a estados e municípios para adequação de currículos


Reprodução


  • 06/04/2017 14h49 – Brasília

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência BrasilO Ministério da Educação (MEC) vai fixar um prazo de até dois anos após a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para que estados e municípios elaborem os próprios currículos. São os currículos que vão definir como os objetivos de aprendizagem estabelecidos devem chegar aos estudantes nas salas de aula.

“O MEC assegurará todo o apoio técnico do ponto de vista do suporte para que estados e municípios possam avançar na definição dos currículos que obedecerão as normas gerais e as diretrizes gerais consagradas na BNCC”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho. “Tanto o suporte téncico, como a formação de professores e currículos devem estar absolutamente sintonizados com a nova base que será homologada”, acrescenta.

Reino Unido acusa Al-Assad por ataque com armas químicas na Síria


Reprodução


  • 05/04/2017 07h36 – Bruxelas

Da Agência EFE


O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, responsabilizou hoje (5) o regime do presidente da Síria, Bashar al Assad, pelo ataque com armas químicas na cidade de Jan Shijun, no norte da Síria, que deixou 72 mortos, entre eles 20 crianças.

“Todas as provas que vi sugerem que foi o regime de Al-Assad o responsável, com total conhecimento que estavam usando armas ilegais em um ataque bárbaro contra gente corrente”, disse Johnson em Bruxelas, durante sua chegada para conferência internacional sobre a Síria.

“Eu não vi absolutamente nada que sugira ter sido alguém fora do regime”, afirmou. “Eu gostaria que os responsáveis pagassem um preço por isto. Certamente, não vejo como um governo como esse pode continuar a ter alguma administração legítima sobre o povo da Síria”, disse Johnson. Ele classificou de “bárbaro” o regime comandado por Al-Assad.

Powered by WordPress | Download Free WordPress Themes | Thanks to Themes Gallery, Premium Free WordPress Themes and Free Premium WordPress Themes
WP-Backgrounds by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann