Tuberculose | Conheça os sintomas da doença que tem tratamento gratuito pelo SUS

Reprodução
Foto: Altrendo/Juice Images/Corbis

Tosses persistentes por mais de duas semanas, febre baixa, principalmente no final da tarde e início da noite, suor excessivo durante a noite, falta de apetite, cansaço e dor no peito. Esses são os principais sintomas da tuberculose, doença infecciosa e transmissível pelo ar. A tuberculose tem causa bacteriana e compromete na maioria das vezes os pulmões, mas também pode afetar outros órgãos e sistemas do organismo. A doença prevalece duas vezes mais em homens, devido a diversos fatores, como a maior exposição desde a infância e a pouca frequência em tratamentos preventivos. Atualmente, a tuberculose é a principal causa de mortes de pessoas infectadas pelo HIV/Aids, pois também ataca as células de defesa e imunidade do organismo. Pessoas com tuberculose ativa podem transmitir a doença através da tosse, espirros e também ao falar. De acordo com o Programa Nacional de Controle da Tuberculose, do Ministério da Saúde, é difícil que haja a transmissão da doença por roupas, lençóis, copos e outros objetos. Existe um período de incubação, o que significa que nem sempre quem tem tuberculose está com ela ativa. E nem sempre quem está com tuberculose ativa acabou de ser infectado. O risco de adoecer é maior nos primeiros dois anos após a primeira infecção, mas, uma vez infectado, o paciente pode adoecer em qualquer momento da vida. O objetivo do Ministério da Saúde, com o Programa Nacional de Controle da Tuberculose, é acelerar o processo de queda da quantidade de casos de infecção e a redução do número de mortes por tuberculoses no Brasil. Segundo o Coordenador do Programa, o médico sanitarista Draurio Barreira, há 17 anos o Brasil tem quedas nas taxas de incidência da doença em tem mantido uma tendência de queda no número de incidência e mortalidade por conta da tuberculose. O Brasil ainda faz parte da lista de 22 países com maior número de casos de tuberculose, mas, segundo o Coordenador Programa Nacional de Controle da Tuberculose, esse número é elevado também por causa da quantidade de habitantes do país. “Nosso país tem registrado uma queda anual de 1,5% do número de casos da doença. Sabemos que apesar de todos os avanços de números de mortes e de novos casos, é uma doença considerada antiga, mas que ainda acontece nos dias atuais”, explica. Tratamento – O tratamento para a tuberculose é longo, dura no mínimo seis meses. “Muitas pessoas, cerca de 10% dos pacientes, abandonam o tratamento antes do final. Isso é grave, pois é comprovado que a pessoa não é curada em menos de 6 meses”, afirma o médico Draurio Barreira. Segundo ele, dois meses após começar a tomar os remédios, o paciente já percebe que sintomas como tosse, febres, sudorese e outros são reduzidos significativamente e, por isso, acha que já está curado. Além do tratamento medicamentoso, quando se descobre estar infectado, o coordenador também recomenda como prevenção ventilar residências e ambientes de trabalho, com portas e janelas abertas e também deixar que o sol entre nesses espaços. A agente comunitária Rita de Cássia Vieira, moradora da Rocinha (RJ) teve tuberculose duas vezes. Em 1989 ela foi diagnosticada, mas não conseguiu manter o tratamento. “Larguei o tratamento porque parecia muito longo, fiz só por três meses. Me arrependi, pois em 1998 tive a doença de novo e dessa vez tive que me tratar, senão não iria sobreviver”, conta Ritinha, que se tratou em uma Unidade de Saúde próxima à sua casa. O médico sanitarista recomenda que no caso de sintomas, a pessoa procure atendimento médico para investigar se é ou não o caso de uma tuberculose. Nesta semana o Programa Nacional de Controle da Tuberculose do Ministério da Saúde realizou Oficina de debate estratégias para a adesão ao tratamento da tuberculose, com a participação de aproximadamente 90 profissionais de saúde de diversos estados brasileiros, como São Paulo, Pernambuco, Santa Catarina, Bahia, Paraná, João Pessoa, Espírito Santo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Maranhão.

Fonte: Kathlen Amado / Blog da Saúde

 

» Esta é uma informação    #Compartilhe por aí, vale a pena … 

 

Não deixe seu carro desprotegido, faça uma cotação online e saiba na hora o preço do seu seguro.

Simulação sem compromisso

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Powered by WordPress | Download Free WordPress Themes | Thanks to Themes Gallery, Premium Free WordPress Themes and Free Premium WordPress Themes
WP-Backgrounds by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann